Reza a história que quando o quinteto sueco entrou em estúdio para a gravação do sucessor de “Peer Amid”, pouco mais dispunham do que um conjunto disperso e sem grande nexo de riffs. Não é preciso inspeccionar “Dances In Dreams Of The Known Unknown” a fundo para se perceber que, fechados em quatros paredes, pouco mais fizeram do que os aproveitar até à sua exaustão, mostrando que apesar de não concederem aos temas uma enorme diversidade, conseguem ter o seu mérito na intensidade e na eficácia dos mesmos.

Os The Skull Defekts trataram de agrupar neste seu novo álbum, uma mão cheia de músicas que espetam a agulha não numa eminente heterogeneidade, mas antes numa obsessiva e quase opressiva repetição de estruturas. Malha após malha, percebemos que as mesmas conseguem ser como que uma família unida pela mesma fórmula e ritmo, o que por vezes nos traz a estranha sensação de encontrar perfis sonoros muito semelhantes como acontece em “Pattern Of Thoughts” e “The Fable”, mostrando que as reminiscências dos Sonic Youth estão por agora colocadas de parte.

Ao longo de nove temas existe sempre uma densa e intensa cadência, não só conferida pelas cordas de Joachin NordwallDaniel Fagerstroem, mas também por um ritmo sempre plano e pouco dado a descomunais incorporações da bateria de Jean-Louis Huhta, concedendo uma recorrente terapia de transe, como demonstrado em “Awaking Dream” ou “Cyborganization”. Ritmos esses acompanhados, mesmo que a espaços, pela influência do agora membro honorário Daniel Higgs. A etnicidade e espiritualidade moram aqui porque Higgs, qual mestre do místico, o trata de lembrar mesmo que subtilmente em “King Of Misinformation”. Porventura, também com ele tenham aprendido a importância e a tentação da percepção da palavra.

Não persistam dúvidas que, por agora, os escandinavos criaram aquele que é o seu disco mais orelhudo mas, como prova a sua extensa e difícil de acompanhar discografia, talvez este registo nos mostre pouco de um novo caminho. Créditos lhes sejam dados, pois as cartas que distribuem raramente tendem a ser repetidas.