Os Sunn O))) voltaram a Portugal, à LX Factory, para apresentar o seu álbum mais recente: Monoliths & Dimensions. Zelando  para que o volume fosse sempre mais forte e para que o impacto da experiência física da vibração do som no corpo (e no edifício) fosse cada vez maior, os americanos trouxeram a Lisboa a intensidade em forma de música.

Ao vivo,  os Sunn O))) não se reduziram apenas à evidente e esmagadora força do som. O concerto foi muito mais do que isso:  um espectáculo cénico único, materializado numa teatralização do cerimonial sónico-religioso, por via de enormes quantidades de fumo e de robes tipo jedi e, desta vez, de máscaras, coroas de espelhos e lasers.

Confirmando o que fizeram no seu último álbum,  introduziu, ao vivo, novos instrumentos (trombone, teclados e um baixo) e uma maior variedade tímbrica, rompendo com o aparente minimalismo que constitui o drone metal.

À exaltação, exploração do volume e da densidade das notas, conseguidas pelos riffs e drones gerados pelo duo fundador, Stephen O’Malley e Greg Anderson, juntaram-se as intervenções do vocalista Attila Csihar – convidado para o último álbum e para a presente digressão-, cuja voz superou a dimensão da estética black metal, aproximando-se, em muitos momentos, das guturalizações de Tuva. Estranho o facto de, nalguns momentos, durante as quais as guitarras se silenciariam para dar lugar à voz, ter havido alguns problemas de falta de comunicação. A experiência foi redimida pelo regresso dos drones, que ajudaram a suportar as vocalizações.

Caso raro no panorama musical alternativo, o duo consegue aglutinar público do metal, por via da música, e de outros fãs, pelas especificidades sonoras e visuais do espectáculo. A música conceptual, racional e teorizada, algures entre o noise, odoom e o black metal, transforma os Sunn O))) num projecto musical único e entusiasmante.