magine-se a sensação de colocar o CD no leitor e o espasmo ser imediato. Assim começa este disco. Sem dar tempo para respirar, o projecto de Jenks Miller, desenvolve em Phaedra’s Love, uma faixa ruidosa e crua, numa vertente muito aproximada das origens do black metal mais rasgado e rude. A tempestade é interrompida de forma extemporânea por uma fase musical de drone e momentos ambientais, articulando até ao final estas duas componentes, dando, por vezes, a sensação de serem duas fases diferentes em apenas um registo. Desta forma, Horseback demonstra, mais uma vez, que são uma proposta  aliciante e para os quais não há fronteiras, sendo capaz de explorar cada significado musical com uma valoração sónica extremamente digna.

Por sua vez, o tema de Pyramids, contempla períodos puramente ambientais, com enormes laivos de algo que poderia ser denominado de experimentalismo, alicerçado às batidas constantes de bateria e à reprodução do que soa, maioritariamente, como elementos estranhos. Thee Cult Of Henry Flynt é um tema completamente diferente daquele apresentado por Horseback, mas muito mais aproximado da colaboração estrita entre os dois projectos, que é posteriormente desenvolvida.

A Throne Without A King, divido em quatro partes, apesar dessa divisão por faixas, não se correlacionar com a temática das mesmas, já que estas são claramente para ser ouvidas como um objecto único, mostram que o feedback, o ruído e a incorporação de sons díspares, quando bem interlaçados e em consonância, podem ser não só audíveis, mas altamente estimulantes e, acima de tudo, desafiantes. A utilização de vozes, ora cantadas, ora faladas, em conjugação com todas as ambiências sonoras, conferem um ainda maior estímulo auditivo, chegando a ser em determinadas alturas carregado de misticismo e perpetuando um claro desafio ao ouvinte.

Assim, A Throne Without A King constitui-se como uma forma de provocação benigna a todos aqueles que o ouvem. Se este trono não tem rei, esta colaboração mostra que estes dois projectos têm apetência monárquica para se tornarem mentores de um povo.