Este tipo é o maior. Cabe nele o Mississippi o inteiro, o blues, o gospel, o rock, o desespero, o álcool, os amores descarrilados, o tabaco, um futurismo semi-lúcido que, tivesse ele vivivo naqueles tempos de sobram apenas fotos a preto e branco, seria hoje considerado um deus de pacto assinado com o mesmo gajo que encontrou o Robert Johnson num cruzamento. Willis Earl Beal toca no Musicbox a 13 de Abril – ouçam “Noctunes” de 2015 e vejam o excelente filme “Memphis”, por ele protagonizado.