O que seria do doom se toda a gente gostasse do sludge? A verdade é que mesmo com o sludge muito em voga, aparecem sempre uns projectos ainda mais arrastados, ainda mais lentos. E alguns até interessantes, e estes Loss são um desses.

Despond é um belo exemplar de funeral doom, tradicional mas ainda assim moderno e aberto a influências diferentes, não faltando sequer um ligeiro aroma post-rock e black metal aqui e ali. Não alinham na experimentação que marca uns Esoteric ou Ea, por exemplo, deixam isso para os interlúdios, como a faixa-título eDeprived of the Void, que se arrastam por territórios mais noise e ambient.

A impressionante voz do vocalista/guitarrista Mike Meacham é das mais graves e ameaçadoras que se ouviu nos últimos anos, e mistura-se de uma forma aterradora com as guitarras, como se Meacham tivesse gravado a voz no fundo de um poço. Por falar em guitarras, aqui há espaço para muitas melodias, que fazem lembrar os tempos em que o doom metal começava e acabava na Peaceville Records, no início dos anos 90.

Um dos pontos mais fortes desta estreia do quarteto de Nashville é o facto das faixas soarem diferentes umas das outra. Algo que, em boa justiça, não pode ser dito da maioria das bandas que povoam esse pântano que se chama funeral doom. A composição e a forma como as faixas vão crescendo é exemplar, especialmente nas mais longas. Há muita variação, apesar da velocidade normalmente variar entre o ritmo lento e o muito lento. Em músicas como Cut Up Depressed and Alone e Silent and Completely Overcome, parece que estamos a ouvir uns veteranos e não um grupo que se estreia nos LPs.

De destacar também a voz do convidado Brett Campbell na Silent and Completely Overcome, a fazer lembrar uns Candlemass. Como é cada vez mais comum nas novas grandes bandas norte-americanas, este é mais um projecto descoberto pela Profound Lore Records.