Em 2012, os Cloud Nothings sentaram-se à mesa com Steve Albini – o mesmo dos Big Black e Shellac, que produziu bandas como Nirvana, Slint, PJ Harvey, entre outros. Um namorico que deu à música dos Cloud Nothings maior pujança e alternâncias próximas do pós-hardcore. Um trabalho agressivo e bem limado em estúdio.

Mais do que um ataque aos sentidos, “Attack On Memory” carrega uma intensidade que deu às canções de Dylan Baldi (canções com c de cantaroláveis) um estatuto de clássicos e que ficam tão bem ao lado de nomes como os Fugazi ou City Of Caterpillar.

O novo disco é menos cerebral, mais simples e direto, próximo do garage rock. O líder da banda, Dylan Baldi, chama-o até de mais positivo. Tirando “luminosidades” à parte, os ritmos continuam rápidos e urgentes, assim como recuperou-se alguma sujidade lo-fi que caracterizava o som da banda quando se estrearam com “Turning On” em 2009. A energia que emana de cada guitarrada faz lembrar o emaranhado rock dos Japandroids. No entanto, osCloud Nothings conseguem ir mais além, e fazem-no como poucos, encontrando na distorção o ambiente certo para atirar melodias que estão próximas do que podemos ouvir em artistas como Mikal Cronin, Ty Segall ou The Mantles. Isto para não sacar da cartola uma referência maior em fazer grandes canções rock com qualquer toma-lá-dá-cá, que foi a escola Pavement.

Os Cloud Nothings optam por um ataque punk e distorcido, aliado a uma sensibilidade melódica bastante apurada, que fazem deste grupo um dos remédios recomendados para combater a inatividade sobretudo da zona do pescoço (para não falar daquelas pessoas que aperfeiçoam diariamente o exercício imaginário de tocar guitarra, baixo e bateria).

Por aqui verifica-se também que o grunge continua a exercer a sua influência, e só pode dar saúde o suar das guitarras, trazendo à memória as mudanças da nossa adolescência, tão frequentes como as variações dos Sonic Youth.

Há quem lhe chame indie rock, sem aprumo nem com licença, apenas o ruído e a energia que vamos querer bem perto de nós nos próximos meses.

Disco em stream integral aqui.