A questão é simples e fizemo-la aos Scum Liquor, confirmadíssimos para desmoitar o Barroselas’16 com rock n’ roll de cheiro a esgoto. Porque, quer se queira, quer não, são bandas assim, da casa, que mantêm aquela podridão e microclima que diferenciam o SWR de todo o resto que se passa por cá. Já imaginaram a javardice que seria meter os Scum Liquor a tomar conta do DJ set final? Pois é, têm a resposta já abaixo, mas, antes, lembrem-se de duas coisas: eles editam já em Abril, pela Signal Rex, um split 7” com os também nacionais Clockwork Boys; tocam a 22 de Abril no festival, coisa que pode ser verificada, juntamente com outros pormenores, na nossa página dedicada em exclusivo ao Barroselas.

Aqui segue uma playlist sem pensar muito e feita no momento, porque acho que assim é que deve ser…
Primeiro punha Epica, Lacuna Coil, Nightwish, Anathema mãos de papel e mais umas goticadas para atrair o mulherio, e depois, quando estivessem acomodadas, importunava-as com esta devida classe:
Dirty “evil” Lawbreaker
Bathory – “Hades”


 

Motörhead – “The Hammer”


 

Impaled Nazarene – “Sadhu Satana”



Anti Cimex
– “Braincell Battle”


 

Inepsy – “City Weapons”


 

Pisschrist – “Fight Back”


 

The Mentors – “Free Fix (For A Fuck)”


 

Gehennah – “Bitch With A Bullet Belt”


 

Sex Pistols – “No Feelings”


 

Guns ‘N’ Roses – “Out Ta Get Me”


 

Genocide – “Die Wasted”



Kaoma
– “Chorando Se Foi” (Lambada)