Liturgy - "The Ark Work"
9Thrill Jockey

A dúvida persiste acerca da forma como deve ser encarado este disco: ensaio de provocação, facada no convencional, pré-estabelecido ou visionário? O tempo será o maior juiz de “The Ark Work”, pois a esta distância temporal é difícil entender se a metamorfose resultará num trabalho percursor e impulsionar de um qualquer novo género e semântica musical, ou se será apenas esquecido, incompreendido e maldito. Por agora, e apesar de a cada nova audição conseguir proporcionar uma relação amor-ódio, os Liturgy conseguiram o objectivo que parece estampado em todo este processo: o choque. Contudo, essa tentativa podia resultar apenas em algo ridículo ou imaturo. Mas não, este é um lançamento capaz de despertar as maiores discussões e, percebendo as pessoas envolvidas na sua concepção, o objectivo traçado foi alcançado.

A estranheza é a sensação que mais desponta em qualquer uma das malhas. Parece evidente que existiu uma total liberdade criativa – como aliás devia ser sempre -, sem qualquer dificuldade ou medo de cortar laços e introduzir elementos que talvez até agora nunca tivessem sido explorados. Oiça-se a fanfarronice inicial e que prossegue em “Follow”, ou a voz quase em registo hip-hop, os riffs que são recuperados de faixas anteriores e que depois surgem novamente vindos do nada, a utilização de algo semelhante a beats. Ou seja, uma parafernália de elementos quase hereges para a pureza que se reclama para o género, concretizados em “Reign Array”.

“The Ark Work” tem a capacidade de nos questionar e lançar a dúvida acerca do que se ouve. Terá ainda resquícios de black metal? Estarão eles a tentar gozar com o estilo? Será mais que música e uma ligação quase filosófica aos escritos ridicularizados de Hunter-Hunt Hendrix? As interrogações são bastantes e infindáveis, mas, por agora, o álbum responde por si próprio e é das propostas mais horrivelmente estimulantes que se ouviram nos (pedras, venham elas) últimos anos. Isto, se formos capazes de pontapear o preconceito e valorizar quem tentou criar algo diferente.